Colesterol: Por quê tratá-lo?


Colesterol alto ou dislipidemia significa que os níveis das gorduras (lípides) circulantes estão altos no seu sangue. As principais gorduras são o colesterol LDL, colesterol HDL e os Triglicerideos. As goduras ou lípides tem funções importantes no organismo, pois fazem parte da estrutura básica da membrana das células, são utilizadas na formação de hormônios esteroidais, ácidos biliares e da vitamina D, além de agir na ativação de enzimas. No organismo os colesteróis circulantes são provenientes do metabolismo (produção) pelo fígado e pela dieta. Uma refeição rica em gorduras e frituras aumenta o nível de colesterol. Uma dieta rica em carboidratos, como massas, pães e bolachas, aumentam os triglicerídeos. A dislipidemia pode ocorrer de tanto de forma isolada, com aumento somente do LDL ou dos triglicerídeos, como da forma mista com aumento do colesterol e dos triglicerídeos concomitantemente. Estas alterações devem ser tratadas, pois a dislipidemia é um importante fator para a formação de placa de gordura nas artérias (aterosclerose). A mortalidade por infarto (doença arterial coronariana) é a principal causa de morte no país e o colesterol elevado possui evidências para ser consi¬derado o principal fator de risco modificável com base em estudos tipo caso-controle, observacionais, de base genética ou de tratamento. Torna-se lógico, então, que reduções de colesterol, principalmente nos níveis de LDL, por meio de mudanças no estilo de vida e/ou medicamentos, ao longo da vida, tenham grande benefício na redução da doença cardiovascular. Como se diagnostica? O colesterol e triglicérides altos não dão sintomas. É fácil ter colesterol alto e não saber. Daí a importância de dosá-lo através de exame de sangue. Conhecer seu colesterol pode ajudá-lo a tomar precauções para evitar o infarto ou derrame se você for de alto risco. Quais são os fatores de risco para desenvolver doença cardíaca? - Pressão alta (tratada ou não tratada); - Aumento do LDL (colesterol ruim); - HDL (colesterol bom) com níveis baixos; - Sedentarismo; - Sobrepeso e obesidade; - Diabetes mellitus; - Idade; - História familiar de doença cardíaca. Como se deve tratar? Os níveis desejáveis de cada fração do colesterol (HDL e LDL) e dos triglicerídeos dependem dos fatores de risco de cada indivíduo, portanto, seu médico irá orientá-lo, baseado em evidências clínicas, qual o melhor perfil de colesterol e triglicérides desejado no seu caso. A dislipidemia é tratada principalmente, com mudanças no estilo de vida: - Manter um peso adequado; - Comer alimentos com baixo teor de gordura saturada, trans e colesterol; - Pessoas com triglicérides elevados também devem reduzir a ingestão de carboidratos; - Praticar ou intensificar a atividade física; - Interromper o hábito de fumar; - Diminuir o uso de bebida alcoólica. Se os níveis de colesterol esperados para cada paciente não forem alcançados, o médico pode também prescrever medicamento. O tipo e a dose deste medicamento vão depender de seus níveis de colesterol e triglicérides, além das doenças associadas.

Destaques
Categoria
Procurar por tags
Mais recentes
Redes Sociais
  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Instagram Social Icon

Emanuel M. Milanez

Diretor técnico | Cardiologista

CRM 8851 | RQE 5256

Endereço

Rua Antônio de Lucca, 165

sala 01, Ed. Vitalle

Pio Corrêa - 88.811-503

Criciúma - SC

(48) 3433-2102

(48) 3463-2554